25/04/2012

E se tempo fosse dinheiro? Filme: O preço do amanhã




E se tempo fosse dinheiro? Eu estava rica. RS. Brincadeiras a parte, venho falar de um filme que assisti recentemente, chamado o Preço do amanhã, com Justin Timberlake.


Título original: In Time
Duração: 109 minutos.
Censura: 10 anos
Sinopse: Em um futuro próximo, o envelhecimento passou a ser controlado para evitar a superpopulação, tornando o tempo a principal moeda de troca para sobreviver e também obter luxos. Assim, os ricos vivem mais que os pobres, que precisam negociar sua existência, normalmente limitada aos 25 anos de vida. Quando Will Salas (Justin Timberlake) recebe uma misteriosa doação, passa a ser perseguido pelos guardiões do tempo por um crime que não cometeu, mas ele sequestra Sylvia (Amanda Seyfried), filha de um magnata, e do novo relacionamento entre vítima e algoz surge uma poderosa arma com o sistema e organização que comanda o futuro das pessoas.

Todas as pessoas nascem com um relógio no braço, que só passa a funcionar quando completa 25 anos.
Quando o relógio é ativado, a pessoa ganha um ano, que é ao mesmo tempo dinheiro e a vida dela.
Esse tempo pode ser gasto com tudo, tanto para pagar contas ou apostar, também pode ser passado de uma pessoa para outra. Quando o relógio chega à zero, a pessoa morre.
A história do filme se passa nesse cenário, onde o tempo é o bem mais precioso de uma pessoa. Como no mundo real, existe um desequilíbrio. Enquanto muitas pessoas têm séculos de vida, outras batalham intensamente para conseguir horas e minutos, chegando a levar o ditado “viva a cada dia como se fosse o último” ao pé da letra.

Gostei muito desse filme. Ele me fez pensar em como as pessoas gastam o tempo que tem. Não é raro ouvir alguém dizer: “não tenho tempo para fazer isso...” ou “o tempo está passando rápido demais”, “queria ter tempo para fazer tal coisa”, etc.
Ás vezes estamos sempre ocupados demais com alguma coisa, e deixamos para trás aquilo que gostaríamos de fazer, sempre deixando para outro dia. Mas como saber quanto tempo ainda nos resta? Infelizmente não temos nenhum relógio que nos mostre o tempo que temos.
História muito bem bolada e inteligente, vale a pena assistir.


3 comentários:

  1. Justin deu uma sumida no mundo da música, mas encontrei ele em um filme. Gostei muito desse post, não conhecia esse filme, mas achei bem interessante e o tema então parece ser ótimo.

    Abraços
    http://entrepaginasdelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Justin até que é um bom ator.
      O filme é muito bom, garanto que não vai perder tempo assistindo. rs.
      Obrigada pela visita.

      Excluir
  2. Olá,

    Ainda não conhecia esse filme. Como o Caíque disse, ele está meio sumido no mundo da música. Parece um bom filme e uma ótima história, que nos faz refletir sobre o modo como usamos nosso tempo. Parabéns pela resenha deste filme.

    Mateus Noremberg - Livros Preciosos

    ResponderExcluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/