28/05/2012

Ponto de vista/Vista de um ponto



Estavam sentados em um banco na praça, um rapaz e uma moça. Falavam sem parar.
O rapaz, completamente apaixonado, estava atento a história que a moça contava, contemplando a como se fosse uma divindade. A moça, empolgada, tagarelava sobre alguma coisa que não parecia importante. Eu observava de longe. Eles pararam de falar, talvez ela tivesse feito uma pergunta, e ele, distraído, não percebeu. Ou apenas pararam de falar porque não havia assunto. Eu era apenas um intrometido, que observava de longe. Não os conhecia, nem sabia do que falavam, apenas olhava.
Vi quando a moça sorriu, timidamente. Vi quando começava a abrir a boca, para voltar a falar. Foi interrompida bruscamente. O rapaz a havia beijado, tão rápido e inesperadamente que ela nem chegou a fechar os olhos.
A moça o empurrou delicadamente, com os dedos. Ele se afastou sem protestar. Olhou para o chão envergonhado. Vi, ou imaginei ter visto, ele sussurrar: “desculpe”.
Ela falou alguma coisa que não pude ouvir.  Passou os braços em volta de seu pescoço e lhe deu um beijo, dessa vez, com mais calma.
Ouvi meu relógio apitar. Eram duas horas da tarde. Hora de voltar ao trabalho. Não voltei a olhar para os dois, porque não me importava mais. O que aconteceu com eles, quem eram ou o que faziam, eu nunca soube. Mas aquela cena ficaria ali, guardada, por anos há fio em minha mente.
Ainda não entendo o que tinha de tão especial em uma cena como essa, ou talvez seja exatamente por isso que venho arrastando essa lembrança. Todos passaram indiferente ao casal, mas foi minha retina que ficou encantada. Fui eu quem os vi e sou eu quem conta essa historia. E eles nem sabiam que estavam sendo observados...

10 comentários:

  1. Que linda a historia , me deixou encantada.
    Escreve muito bem! Parabens!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Hoooy guria aquele lay é MUUUITO antigo rsrsrs tenho que ver se ainda tenho a codificação dele por aqui (pq naquele blog de testes eu perdi a senha) ....

    beeeeijus!

    ResponderExcluir
  3. Que história lindaaaa!
    xoxo ;*

    www.menina-delicada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Está lindo o conto! A vida é bem assim mesmo tudo está em passagem. Esse olhar do autor personagem modifica toda uma história. É estranho ter uma memória sua na vida de uma pessoa desconhecida. Beijos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada por comentar Roberta. Concordo com você, é bem estranho tem lembrança de outra pessoa na sua vida.
      Beijos

      Excluir
  5. Ótimo conto, parabéns!!!
    Muito obrigada por passar no DSM, desejo tudo de bom!!!

    Mil Sweetkisses ♥
    www.docesonhodemenina.com.br

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, um belo conto. A beleza está nos olhos de quem vê. :]

    Beijos,
    Gaby
    http://pitadadecultura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Gabriela, obrigada pela visita.

      Excluir
  7. Amei o seu conto, tão delicado, tão diferente. Incrível, estou encantada, me conquistou com sua escrita. Continue assim, você pode ir longe!

    ResponderExcluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/