18/07/2012

[Resenha] O Prisioneiro do Céu - Carlos Ruiz Zafón

Autor: Carlos Ruiz Zafón
Páginas: 248
Sinopse: Barcelona, 1957. Daniel Sempere e seu amigo Fermín, os heróis de A sombra do vento, estão de volta à aventura para enfrentar o maior desafio de suas vidas. Já se passa um ano do casamento de Daniel e Bea. Eles agora têm um filho, Julián, e vivem com o pai de Daniel em um apartamento em cima da livraria Sempere e Filhos. Fermín ainda trabalha com eles e está ocupado com os preparativos para seu casamento com Bernarda no ano-novo. No entanto, algo parece incomodá-lo profundamente. Quando tudo começava a dar certo para eles, um personagem inquietante visita a livraria de Sempere em uma manhã em que Daniel está sozinho na loja. O homem misterioso entra e mostra interesse por um dos itens mais valiosos dos Sempere, uma edição ilustrada de O conde de Montecristo que é mantida trancada sob uma cúpula de vidro. O livro é caríssimo, e o homem parece não ter grande interesse por literatura; mesmo assim, demonstra querer comprá-lo a qualquer custo. O mistério se torna ainda maior depois que o homem sai da loja, deixando no livro a seguinte dedicatória: "Para Fermín Romero de Torres, que retornou de entre os mortos e tem a chave do futuro". Esta visita é apenas o ponto de partida de uma história de aprisionamento, traição e do retorno de um adversário mortal. Daniel e Fermín terão que compreender o que ocorre diante da ameaça da revelação de um terrível segredo que permanecia enterrado há duas décadas no fundo da memória da cidade. Ao descobrir a verdade, Daniel compreenderá que o destino o arrasta na direção de um confronto inevitável com a maior das sombras: aquela que cresce dentro dele. Transbordando de intriga e emoção, O prisioneiro do céu é um romance em que as narrativas de A sombra do vento e O jogo do anjo convergem e levam o leitor à resolução do enigma que se esconde no coração do Cemitério dos Livros Esquecidos


Quando li Marina, o primeiro livro de Zafón que conheci, soube imediatamente que não ia conseguir ler somente ele. Procurei por outros livros do autor, e esses “outros” me levaram a O Prisioneiro do Céu.

Sabe aquele livro que você tem que ir fazendo pausas? Que você tem que parar de ler para pensar em tudo que leu? E mesmo tendo que parar, você não consegue parar até que sua cabeça comece a doer? O prisioneiro do céu é esse livro.

Tudo começa quando um estranho entra na livraria Sempere e Filhos, ameaçando revelar o segredo de Fermín Romero de Torres. Fermín se vê obrigado a contar sua história ao Daniel, o filho do Sr. Sempere. Daniel percebe que ele e Fermín não viraram amigos por acaso.

O prisioneiro do céu não é somente a continuação de A sombra do vento, ele também é a explicação de O jogo do Anjo. A confusão que fica em nossa mente, depois de ler O jogo do Anjo, é explicada nesse livro, pois Fermín conheceu David Martín, o protagonista do mesmo.

Me senti um pouco enganada enquanto ia lendo, porque O jogo do Anjo é um dos meus favoritos, por causa da história cheia de mistérios e intrigas. Mas aos poucos fui me conformando com a explicação e passei a gostar mais da história do livro, tanto que vou ler de novo.
As pessoas de alma pequena sempre tentam apequenar as demais... Pág18

Poucos são os livros que me deixam realmente presas, com aquela vontade de terminar logo de ler e aquela tristeza por saber que vai acabar. Sempre que deixava o livro de lado para fazer alguma coisa (e que custo era deixá-lo de lado) minha mente acabava voltando para a história de O prisioneiro do céu e eu acabava não prestando atenção em nada a minha volta. (Deixando bastante gente irritada).
—Não me lembro de onde foi que li que no fundo nunca fomos o que eramos antes, que só lembramos o que nunca aconteceu... — disse Fermín— No incio de um romance de Julián Carax — respondi. Pág 56

Mais uma vez me senti triste por saber que só posso visitar o cemitério dos livros esquecidos em minha imaginação. Zafón criou um lugar tão legal que dá pena olhar para nossa cansativa realidade.

O Prisioneiro do Céu é um livro maravilhoso, não é preciso ler os outros dois para entender, a história é única, como se não fizesse parte dos outros livros, coincidindo apenas os personagens (e que personagens!). O único defeito do livro é que uma hora ele chega ao fim, e para prolongar a história, tem que ler de novo. Mas, pelo final do livro, e algumas coisas que vi no site do autor, vai ter uma continuação, mais um livro da série "o cemitério dos livros esquecidos". Mas se sair outro, e se for tão bom quanto os outros, só o tempo pode responder.

6 comentários:

  1. Mais um livro interessante...
    Eu faço a entrevista por e-mail mesmo, fica melhor pois a pessoa entrevistada pode responder quando quiser. Estou aguardando sua inscrição, até sábado vou estar recebendo posts para o segundo post com textos, mas se o seu não chegar a tempo, ainda pode entrar no terceiro post.
    Muito obrigada por passar no DSM, sucesso para você!!!

    Mil Sweetkisses ♥
    www.docesonhodemenina.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou meio sem ideias, mas já tem um pedacinho do meu texto ;)

      Excluir
  2. O livro parece ser ótimo mesmo!Beijos

    http://cerejacorderosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha!!! Também estou esperando ansiosamente a continuação dessas obras, para conhecer os novos personagens que apareceram em "O Prisioneiro do Céu" e para que o autor esclareça tantas dúvidas que pairam no ar!!!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha!!! Estou esperando ansiosamente a continuação, para conhecer melhor os personagens que aparecem em "O Prisioneiro do Céu" e para que o autor esclareça tantas dúvidas que pairam no ar!!!

    ResponderExcluir
  5. amo os livros de zafon me ajudem a debate sobre ele pra poder visualizar melhor as historias o primeiro que lir foi a sombrado vento me envie jamescarvalho18@hotmail.com

    ResponderExcluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/