10/10/2012

[Resenha] Pobre não tem sorte - Leila Rego

Título: Pobre não tem sorte
Autora: Leila Rego
ISBN: 0
Editora: All Print
Páginas: 248

Sinopse: Toda garota do interior sonha em se casar com o cara de seus sonhos, ter uma casinha, filhos e ser feliz até que a morte os separe, certo? E se esse cara for lindo, rico, super fashion e divertido? E se tal "casinha dos sonhos" for um mega apartamento no melhor bairro da cidade? Uau! Mariana encontrou o cara perfeito e vai se casar com ele! E nada de casinha! Isso é coisa de gente que pensa pequeno. Mariana vai ter o apartamento dos sonhos que já vem incluso no pacote: case com um homem rico e vá morar em grande estilo. E quanto a filhos e ser feliz até que a morte os separe... Bem, ela ainda não pensou nesses detalhes. Afinal as prioridades vão para as coisas bem mais interessantes como, por exemplo, o vestido de noiva perfeito, o que o colunista vai dizer sobre o seu casamento no tablóide de domingo, o que as amigas e inimigas irão comentar, quem entrará na lista de convidados para sua despedida de solteira, etc. Mas isso só sura até um dia em que Mariana... Bom, leiam o livro e descubram.

Pobre não tem sorte é o primeiro Chick Lit que eu li. Me interessava pelo gênero, mas nenhum tinha me chamado a atenção ainda.
Mariana é uma mulher fútil, super preocupada com moda, com a marca das coisas que usa, com o que os outros vão pensar dela e por aí vai. Ela namora um rapaz chamado Eduardo: rico, bonito, gentil... enfim, "o genro que mamãe pediu a Deus". Eduardo e Mariana decidem se casar, e ao invés de Mariana dar atenção ao relacionamento dos dois, ela só pensa na marca do vestido, na festa, nos convidados, no que os outros vão pensar da cerimonia... Claro que isso não poderia acabar bem, e Mariana acaba tendo uma surpresa nada agradável.

Pobre não tem sorte é narrado em primeira pela própria Mariana. Ela nos conta a história como se estivesse contando para uma amiga, faz comentários sobre tudo o que está acontecendo, e apesar de falar a marca das coisas de duas em duas linhas, é impossível não gostar dela. Em alguns momentos tive vontade de entrar na história e dar um sacode nela, porque ela precisava. Pena que não dá para fazer isso.

A leitura flui de maneira muito agradável. Você vai lendo, lendo, lendo e quando nota já está quase no fim do livro. Tive que enrolar um pouco para demorar a acabar de ler. O livro também passa uma lição bonita. E o modo como foi passada não ficou muito forçado.

Pobre não tem sorte é muito gostoso de ler. Não tem uma história muito complexa, e isso é ótimo para distrair a cabeça. Mariana é uma personagem cativante. Quando cheguei nas últimas páginas, me senti como se estivesse me despedindo de uma amiga, não vejo a hora de ler a continuação e encontrar Mariana de novo.


19 comentários:

  1. Olá! :)
    É uma leitura que pretendo fazer, Mariana parece mesmo ser legal, principalmente por nos tratar, leitoras, como amigas, isso nos envolve no livro né? rsrs. Imagino que tenha sido o tipo do livro devorado, rs, já que você rapidamente acabou de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica mais fácil se envolver em uma história assim ;)

      Excluir
  2. Pois é, Marina, fiquei que nem você quando descobri... #SnifSnif. Mas a verdade mesmo é que a Independência foi só o D. Pedro assinando uns contratos e nada mais. Todas aquelas representações são artísticas.

    Parece ser bem legal esse livro... Só não posso acrescentar à minha lista de leitura pois depois de terminar "Tormenta" já vou direto para "Os Contos de Bedle, o Bardo", depois "Angélica" (que minha irmã comprou pra mim pois amo os livros da Lygia Bojunga) e depois vou para "Paixão". Mas quem sabe se algum dia achar esse livro por aí, eu não compro???

    Mil Sweetkisses ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, que sem graça. Pensava que teve mesmo o grito ^^

      Boa leitura! *--*

      Excluir
  3. Ai , me interessei pelo livro! A resenha é ótima, foi você quem escreveu? Quero ver no que deu esse relacionamento da Mariana - aliás, o nome dela parece com o seu, né? - e com o Eduardo. Já está na minha listinha de livros para ler!

    Wonderland?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi *--*

      O nome é parecido mesmo, e tem bastante gente que me chama de Mariana. Já até acostumei rs'

      Excluir
  4. Eu não escolheria esse livro pela capa, mas acho que lendo a resenha que você fez eu escolheria sim, parece legal rsrs ^^
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. gente olha só que legal *u* curti muito viu
    eu já estava curiosa para ler, mas agora estou mais.
    é sempre bom uma leitura assim viu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo pra dar uma folga nas leituras sérias xD

      Excluir
  6. Boa tarde :)
    Legal a sua resenha *-*
    Fiquei curioso pra ler e saber a lição que o livro passa >.<

    Beijos e cuide-se

    ResponderExcluir
  7. A resenha me fez fica interessada no livro *--* talvez eu leia ele ^^

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Marina! Quando sentimos pena de terminar um livro é porque é bom mesmo, eu passei a semana com um e não queria que acabasse nunca.
    Gostei do detalhe de que parece uma conversa de amigas, acho que fica uma leitura mais cativante.
    Parabéns pela resenha.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  9. To atrasada aqui, desculpa Marina T.T
    Mas esses dias foram corridos e eu estava sem cabeça para ler com calma e comentar!

    Enfim, para ser bem sincera, esse livro não me chamou a atenção a princípio não! Mas depois de ler sua resenha acho que vou dar uma chance pra ele :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, eu sei como é ficar sem tempo, é o mal do século =D

      Excluir
  10. O primeiro Chik Lit que li foi de uma inglesa, Menina de Vinte, e eu te indico, morri de rir com ele. Já tinha ouvido falar desse livro e tenho até uma vontade de lê-lo, mas o problema é que quando se mora em uma cidadezinha de fim de mundo ondo só há UMA livraria você raramente encontra algo nacional, é por isso que já faz dois anos que estou querendo comprar um chamado Perdida - uma amor que ultrapassa as barreiras do tempo, que, aliás, também é um Chik Lit.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deve ser muito bom esse livro!
      Aqui na minha cidade nem livraria tem! Bom, tem uma sim, mas é de livros religiosos, então nem conta. A maioria dos meus livros eu compro pela internet ^^

      Excluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/