10/11/2012

[Resenha] A mão esquerda de Deus - Paul Hoffman

Autor: Paul Hoffman
ISBN: 9788560280537
Editora:Suma de letras
Páginas: 341
Sinopse: O cenário da trama é desolador. Habitado por meninos que foram levados para lá muito novos e geralmente contra a sua vontade, o Santuário dos Redentores é uma mistura de prisão, monastério e campo de treinamento militar. Lá, esses milhares de garotos são submetidos a uma sádica preparação para lutar contra hereges que vivem nas redondezas. A intenção dos Lordes Opressores, os monges que protegem o lugar, é fortalecer os internos tanto física quanto emocionalmente, preparando-os para uma monstruosa guerra entre o bem e o mal. Entre os jovens está Thomas Cale. Não se sabe ao certo se ele tem 14 ou 15 anos ou como foi parar ali. O que se sabe é que Thomas tem uma capacidade incomum de matar pessoas e organizar estratégias de combate. Essas poderosas habilidades serão colocadas à prova quando ele e dois amigos testemunham um brutal assassinato entre os corredores labirínticos da prisão. A visão do crime dá início a uma perseguição desesperadora e, finalmente fora dos muros do monastério, Cale irá compreender a extensão da crueldade dos lordes e a verdadeira origem de seu poder.


Falei aqui na coluna entre aspas que o livro era bem cansativo de ler, tinha esperanças de que melhorasse, mas o livro continuou a mesma chatice. A história é interessante, mas a narrativa é muito chata e repetitiva.

Thomas Cale vive em no Santuário dos Redentores desde os 8 anos. Ele não se lembra de nada da sua vida antes de ir para lá. Ninguém sabe se seu nome é mesmo Thomas Cale. Nesse Santuário, os garotos são treinados para lutar contra os hereges. Cale vive nesse santuário até presenciar um assassinato. Ele e mais dois amigos, Henri e Kleist (personagens que para mim, só estavam no livro para "ocupar espaço"), fogem do Santuário, e aí que a começam os problemas para eles (e o livro fica chato).

- É impossível, meu amo. Assim como nenhum homem pode saber ao certo se ele próprio é uma criatura pensante e sensível enquanto todos os demais são maquinas que apenas fingem sentir e pensar.
Pág. 269

Eu também falei que a história era cheia de detalhes bobos, travessões e parenteses que interrompiam a narrativa. Tive esperanças de que isso fosse apenas no começo, como uma tentativa de apresentar para o leitor a história, mas não é. Esses detalhes e interrupções não mudam, no fim das contas já tinha me acostumado com elas. Sem contar os furos e os exageros do autor em várias coisas, como nos espancamentos, humilhações e todo tipo de crueldade que os garotos sofriam. Fico pensando como as crianças sobreviviam em um lugar daqueles, no mínimo, a maioria ali teria sérios problemas psicológicos. 

A solidão é uma coisa maravilhosa Cale, e por dois motivos: Em primeiro lugar, ela permite que um homem esteja consigo mesmo e, em segundo, evita que ele esteja na companhia dos outros.
Pág. 154

Apesar de tudo, a história em si é bem interessante. A narrativa é que é chata, e não envolve a gente. Quando o livro começou a ficar legal mesmo, ele acabou. Já imaginava que isso ia acontecer quando vi que estava na página 300 e nada tinha sido explicado. Talvez porque o livro é o primeiro de uma trilogia, e essa chatice toda é só para apresentar o cenário. Para não ficar na curiosidade, vou ter que procurar a continuação.

(...) é uma coisa boa que as guerras sejam tão absurdamente caras, senão jamais pararíamos de travá-las.
Pág. 288
Teve alguns pontos na história que não engoli. Por exemplo, a Arbell Materazzi (uma mulher super hiper ultra mega linda, que aparece no meio da história), se apaixona "do nada" pelo Cale. Não consegui entender isso, ela tinha a disposição dela todos os homens da cidade de Memphis (cidade onde Cale vai parar) e ela vai se apaixonar justo pelo adolescente sem carisma que nunca tinha visto uma mulher na vida! Sem contar que essa paixão começa a se desenvolver depois que ela vê as cicatrizes do garoto. Isso para mim tem vários nomes: dó, pena, compaixão, qualquer coisa menos amor. Mais estranho que o modo como a moça se apaixonou pelo protagonista, foi o modo como ele passou a gostar dela. Foi amor a primeira vista! Um garoto que conviveu 7~8 com sentimentos como dor, ódio, raiva, medo, etc. Simplesmente encontrou o amor do nada.

- Sabe de uma coisa, Albin, quanto mais velho fico, mais acredito que o amor, quando julgado pelos seus efeitos mais visiveis, se parece mais com o ódio do que com a amizade.
Pág. 326
O autor exagerou um pouco na força, na habilidade e tudo mais do Cale. Eu não sei se um garoto de quatorze anos pode ter o corpo de um adulto, mas isso para mim ficou meio absurdo. As estratégias que ele bolava e a facilidade como ele vencia as batalhas, chegou a ser grotesca. Ele vence 8 (?) soldados do exercito Materazzi, que diziam ser os melhores, de uma só vez. A explicação para isso era que quando ele era mais novo, ele bateu a cabeça em uma pedra, ou algo assim. Eu já bati a cabeça muitas vezes, e nunca consegui vencer uma partida de xadrez, com qualquer pessoa. 

O livro poderia ter sido melhor, tem uma capa bonita, mas é só. Estou na dúvida se leio ou não as continuações, não gosto de ficar na curiosidade, mas também não quero deixar o livro jogado na estante. Bem que dizem, que não se pode julgar pela capa.

Links: 


34 comentários:

  1. O título e a sinopse do livro me chamaram a atenção e me deixaram até com uma vontade de ler, porém a sua resenha me desanimou (no bom sentido, eu acho kkk), não gosto de livros cansativos, como O Ladrão de raios, a história era super cansativa mas eu não sosseguei até saber o final, que por sinal também não me agradou ><

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não gosto de livros cansativos. Não tenho muita paciência pra esperar acontecer alguma coisa boa ^^

      Excluir
  2. Oi Marina!

    Nossa, eu realmente esperava que o livro fosse um pouco mais, rsrs! Achei a capa e título extremamente interessantes, bem curiosas e apesar de sua resenha 'negativa', fiquei interessada e pretendo lê-lo algum dia, rsrs!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom ler e tirar as próprias conclusões ^^

      Excluir
  3. gente eu já bati a cabeça numa pedra tbm e nem por isso sou a melhor escritora do mundo e vendo diversos livros e sou hausahu ok parei
    cara fugindo do assunto rapido eu jogo xadrez e passei 1 mes jogando todo dia a mesma partida com meu vizinho, pq eram tantas jogadas e ficavamos horas sentados jogando e bolando estrategias
    aashusshuahuhu acabou q eu perdi por deslise

    agora voltando
    senhor ainda bem q eu nao li esse livro
    teria morrido de tédio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa nunca demorei tanto pra acabar uma partida de xadrez O.O

      Excluir
  4. Sério, Marina?? :o
    Tinha tantas expectativas quanto a esse livro!! Talvez seja apenas a capa mesmo...

    Não sei (não querendo justificar, já que sou escritora também), mas acredito que normalmente nas sagas/trilogias a história é mais lenta. O escritor apresenta os personagens, com mais detalhes e descrições. Apenas mais tarde é que tem ação. Digo isso porque A Seleção é, de certa forma, assim. (primeiro livro da minha saga)

    No entanto, cada livro é cada livro né? =D

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estava pensando que ia adorar, tem uma capa tão linda... :/

      Eu também acho que por fazer parte de uma saga ele seja um pouco chato, vou ler a continuação pra ver se continua a mesma coisa ^-^

      Excluir
    2. Pois é.... Acho que vale a pena continuar lendo! Apesar de estar na minha listinha de desejados, sua opinião conta muito, e confesso que fiquei com um pouco menos vontade de ler haha

      beijos

      Excluir
    3. Vou continuar lendo sim. Talvez ele melhore no próximo.
      Só não deixa de ler por minha causa kkkk

      Excluir
  5. aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah esse livrooooooooooooooo eh mtmtmmtmmto bom! eu adorooo mtmtm :DDDDDDDDDDDDDDDD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que eu não posso dizer o mesmo rs'

      Excluir
  6. eu encontrei ele por acaso na bliblioteca mas antes de pegar queria ler alguma resenha e como gosto da sua opinião e com os fatos apresentados não estou empolgada para le-lo não! hehe mas gostei da resenha e dos trexinhos ne? as vezes fico pensando mesmo que talvez o odio e o amor são primos hehe! beijão faz muito tempo que eu não vinha aki...gostei muito do layout marina a cada um melhorando mais..um dia eu tambem consigo!beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostei desses trechos. Devem ser primos mesmo kkkkk'

      Que isso, seu layout é lindo *-*

      Excluir
  7. Tipo, até que tinha vontade de ler esse livro, mais graças a Deus sempre desistia de compra-lo. Vendo sua resenha, agora, só veio a confirmar que eu não devo ler.
    Não é primeira resenha negativa que eu vejo dele...Paabéns pela sinceridade.
    Beijos
    Brubs
    Livros de Cabeceira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu vi o livro pensei que era muito interessante, tem uma capa bonita e a sinopse me deixou curiosa, mas é só.

      Excluir
  8. Olá gostei bastante desse livro, depois vou ver se acho ele em uma livraria, para eu comprar, pela sinopse fiquei com muita vontade de ler ele, sobre a afiliação aceito todas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele tem uma sinopse interessante, mas não gostei muito ^^

      Excluir
  9. Há quanto tempo não visito aqui! TT
    Tenho andado tão ocupada :(
    Adorei esse layout, o cabeçalho é simplesmente perfeito! Pirei com as cores *oo*

    Quanto ao livro, parece ser legal. Não sei se faz bem meu género, mas valeu pela dica, gostei de conhecer ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz um tempinho mesmo, mas tudo bem ^^

      A valeu *-*

      Se um dia você ler, me conta *u*

      Excluir
  10. Eu já errei tanto comprando pela capa! Como em Marcada, um livro que particularmente detestei (foi o pior livro de toda a minha existência como leitora), ele tinha uma proposta razoavelmente interessante, mas mau feitos e, embora tenha dado com o maior prazer uma estrelinha no skoob, continuei lendo a saga por pura curiosidade. Acho que eu, no meu inconsciente, dizia: não é possível esse livro tenha vendido tanto sendo uma porcaria! Eu tenho que ler para tirar a prova. Resultado: não melhorou, continuei detestando e as autoras continuaram pecando miseravelmente na construção e escrita deles.

    Mas adorei a resenha, até achei a proposta bem legal ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora fiquei curiosa, que livro detestável será esse?

      Excluir
  11. Já tinha lido isso quando você fez o "Entre Aspas". Olha, se tem uma coisa que me incomoda é muita opulência e pouco sentimento. Qualquer dia desses, vou falar sobre isso no DSM...
    No meu caso, no meu futuro livro, o que menos se pode encontrar é complicação. Talvez o mais complicado no início seria entender o mistério (que só vai se resolver no final) mas eu sou a favor que uma frase ou um texto não tem de ser o mais rebruscado, mas sim um que seja suave e que tenha a delicadeza de penetrar na parte mais profunda do leitor (nossa, nem eu estou me aguentando hoje!).
    Ai, fico tão feliz que você tenha gostado do texto!!! Quando pessoas atacam Nossa Senhora eu fico uma arara!!! Sinceramente me revolta. E o que mais me revolta é porque eu sei que atitudes assim não são advindas de uma religião inteira, mas sim de um ou outro indivíduo. Já tive um monte de amigos que eram de outras religiões e conversavam sobre religião normalmente comigo. Também preciso fazer um post sobre isso mais tarde...

    Mil Sweetkisses ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que daria um bom texto!

      Eu também fico! Me irrita muito, mas como você disse, não é a religião, é algumas pessoas que fazem. Tenho um monte de amigos de outras religiões e nem por isso a gente briga.
      Ia dar um bom post!

      Excluir
  12. Nossa esse livro deve ser ótimo e muito Interessante (:
    Ain muito legal adorei ! Mais concordo com você tem certas coisa que e um absurdo kkk A capa e linda çç' mesmo ! Adorei beijos e uma ótima semana

    ResponderExcluir
  13. Adorei sua sinceridade na postagem :)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que se eu mentisse no meu blog não ia adiantar nada ter ele né kkkk

      Excluir
  14. Oii Marinaa!!
    Já quis muito ler esse livro e acabei deixando essa vontade para lá depois de um tempo. Hoje, agradeço por isso, rsrs. Adorei a sua resenha e morri de rir com "Eu já bati a cabeça muitas vezes, e nunca consegui vencer uma partida de xadrez, com qualquer pessoa." Nossa mãe, eu ri mt mesmo, vc não tem noção, haha.
    Adorei a resenha, e é realmente absurdo depois de tanta loucura, dor, estratégias, amar a primeira vista, oi?

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que serviu pra você rir! kkkk

      Um absurdo mesmo. Mas fazer o que né ^^

      Excluir
  15. Oi Marina!
    Adorei a resenha, muito divertida. Que pena que a narrativa é tão ruim, o enredo daria uma ótima história mesmo. Não gosto de livros descritivos demais e às vezes isso acontece com os primeiros livros de séries. Também detesto ser deixada no vácuo ao final de um livro só porque tem sequência.
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não pensei que ia ficar divertida! :D
      Não gosto de livros muito descritivos, sinto falta de coisas mais reais, tipo diálogos e cenas. Existe coisa pior do que um livro que acaba do nada?

      Excluir
  16. Gostei da resenha Marina. Vc expos o que sentiu durante a leitura do livro.
    Eu acho a capa dele muito linda e a história fodastica.
    A sua resenha veio para me animar mais e mais para lê-lo. Tenho-o somente em pdf e as continuações (eu acho).
    Parabens pela escrita. Bjs *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentei falar tudo que senti ^^
      Também gostei da historia, só achei a narrativa chara, talvez as continuações sejam melhor que o primeiro ^^
      Se ler primeiro que eu me fale o que achou ;)

      Excluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/