27/10/2014

Uma postagem rápida: onde estou e por onde andei

Olá pessoal! Há quanto tempo! Parece que dessa vez eu sumi por bastante tempo mesmo, alguém ainda se lembra de mim? Para quem já esqueceu, eu costumava postar nesse blog umas três vezes por semana, até não ter tempo para mais nada haha' Esse ano ficou bem corrido para mim, e só estou tendo tempo de vir aqui escrever essa postagem porque hoje não fui à aula. Fiquei doente o fim de semana todo e tive receio de ir e passar mal na faculdade. Para quem não sabe, eu estudo em outra cidade, e passar mal em viagem ninguém merece! Aproveitando a "folga", vou falar um pouco sobre como está a minha vida, assim vocês podem entender porque sumi e que eu não abandonei o blog! na verdade estou escrevendo essa postagem para mim, adoro escrever esse tipo de coisa e reler um tempo depois, melhor sensação do mundo <3

Achei interessante dividir tudo em tópicos, desse jeito fica mais fácil me organizar e vocês se situarem também, sou muito desorganizada quando se trata de contar algo, se deixar falo tudo de uma vez!



1. Faculdade

E então, como anda a faculdade de Psicologia? Dando uma passagem rápida pelas postagens desse ano no blog, percebi que não falei nada sobre isso para vocês. Para falar da faculdade, eu tenho que falar primeiro de como faço para chegar até ela, bem no sentido literal da frase. Minha cidade é muito pequena, e como é muito pequena, temos pouquíssimas opções de curso superior por aqui (duas ou três opções, talvez), isso significa que não existe nenhum curso de Psicologia por aqui. Eu faço faculdade na cidade vizinha, que fica a mais ou menos uma hora de distância, e vou e volto todos os dias. Sim, é bem cansativo, eu acordo 4:40 da manhã (quando muita gente ainda nem pensa em acordar) e chego 2 horas da tarde em casa. Vou de ônibus, geralmente pensando na vida, e volto da mesma forma. Todo mundo do meu ônibus acorda nesse horário? Não. Acontece que eu moro um pouco longe (cerca de vinte minutos a pé) do centro, e acordo um pouco mais cedo que todo mundo para dar tempo de me arrumar e sair de casa. Eu não me importo, de verdade, sei que tem gente em situações mais fáceis que a minha, assim como algumas em situações mais difíceis. Estou feliz por poder estudar e mais feliz ainda por poder estudar algo que eu gosto. Pretendo me mudar para um lugar mais perto da faculdade sim, para morar sozinha, mas não agora. Ainda tenho que pensar e planejar muito isso tudo.

Sobre a faculdade em si: o curso de Psicologia é ótimo, mexe muito com a gente, em um sentido bom da frase. Sinto que mudei muito desde o primeiro dia de aula, e que vou continuar mudando até o fim do curso (e da vida! haha). Aprendi muita coisa nova, embora o conteúdo ainda seja um pouco distante daquele conteúdo de Psicologia que vemos no senso comum. Minha turma é excelente, todo mundo é meio louco e aceita as loucuras alheias, me sinto completamente acolhida no ambiente escolar e aos poucos estou deixando até mesmo meus medos de lado, como por exemplo o medo/receio de "estar sempre incomodando" e o de sair de casa (falo detalhadamente sobre isso em uma postagem futura).

2. Auto Escola

O primeiro item acabou me levando ao segundo, de certa forma. Completei dezoito anos esse ano, e meu pai me colocou na auto escola. Eu sempre quis tirar a carteira e aprender a dirigir, vivia repetindo isso desde que me entendo por gente, e como ter carteira facilitaria muito minha vida (eu poderia ir de carro para a faculdade ou para o ponto de ônibus) furei fila e meu pai me colocou na auto escola antes do meu irmão, que pela idade, deveria tirar carteira antes de mim (vantagens de ser a única filha menina da família haha). Não vou dizer que entrei na auto escola um dia depois do meu aniversário porque estaria mentindo, sempre quis tirar carteira, mas quando a possibilidade bateu à porta fiquei com um pé atrás, adiei um pouco a minha matrícula, mas quando entrei de férias meu pai não deixou passar mais tempo e me matriculou. Ao mesmo tempo empolgada e com medo do que estava por vir, comecei o curso teórico.

Eu gostaria de falar muita coisa sobre o curso teórico, mas não posso, a postagem ficaria grande demais. Sinceramente, gostaria de escrever uma postagem própria para falar da minha passagem pela auto escola toda, mas não daria tempo. Então, vou resumir: o curso teórico foi muito bom. Não aprendi muita coisa de legislação porque fiz um curso bem picado, repeti várias aulas (os cursos não são por turmas e sim por dias, cada dia tem uma matéria que é determinada pela professora) e fiz muitas outras aulas em horário em que estou caindo de sono, então não deu mesmo para pegar muita coisa (pra isso que existe o livrinho...). Mas aprendi outras coisas, como se desapegar, conversar com estranhos (falo mais no item 3), interagir, me virar sozinha, e até mesmo sair mais de casa (também falo no item 3). A prova não foi difícil e eu consegui passar de primeira. Depois de uma pequena pausa, começou a aula de rua, que...

...Começou de uma forma engraçada. Eu nunca tinha dirigido um carro na vida, o que significa que eu não sabia, literalmente, nem ligá-lo. Muita gente me disse que na primeira aula só o instrutor pegava, e que só na segunda eu ia "dirigir" (leia-se: tocar pra frente) de fato, então fui completamente tranquila para a aula. O instrutor levou o carro até o local onde a gente aprende, que é bem tranquilo, e parou. Imagina o susto que levei quando o meu instrutor disse para trocarmos de lugar e desceu do carro! Fiquei tranquilíssima por fora, quase morrendo por dentro. Acabou que eu realmente "dirigi" nesse dia, com aspas mesmo porque o negócio foi bem complicado, fiz muitos zigue-zagues e sofri para fazer um cruzamento/curva. Fazendo um resumão aqui (haja história para contar!) consegui aprender, terminei as vinte aulas obrigatórias e agora vou fazer umas extras, porque não me sinto preparada para o exame. Dirigir não é tão difícil, parece tudo muito complicado quando se vê por fora, mas na prática você percebe que dirigir é basicamente isso: prática. Quando mais você treina, melhor você fica. Muita gente diz que é melhor você aprender com alguém antes de entrar na auto escola, mas eu comecei sem saber nada (nem mesmo quais pedais faziam o que) e me sinto bem melhor por ter aprendido assim, digamos que aprendi do "jeito certo" e sem ninguém gritando comigo quando eu fazia algo errado haha'

Meu exame está marcado para o dia 13, e quando eu fizer, conto o resultado. Quem sabe não sobra espaço para falar do meu desempenho nas aulas? Talvez até reúna coragem e faça um vídeo ;)

3. Programa de desenvolvimento de habilidades sociais

[Postagem editada, sorry gente] Ninguém nasce sabendo conviver em sociedade. Eu pensava que isso era inato do ser humano, somos seres sociais e nascemos sabendo socializar. Mas não é bem assim que funciona. Se você, por n motivos, não socializa, não aprende a socializar, e portanto, cria-se um deficit. Como eu vivi anos dentro de uma bolha, não tenho muita noção de como se portar socialmente, o que significa, de forma simplificada, que tenho dificuldade para conversar, cumprimentar as pessoas, comprar algo numa padaria, abordar um estranho, etc. E é aí que entra o programa de desenvolvimento de habilidades sociais (PDHS). O programa foi criado por uma professora da minha faculdade e mais um grupo de alunos, e ele serve exatamente para isso: desenvolver habilidades sociais. Eu me inscrevi no programa, resistindo um pouco, e não me arrependo. Temos encontros semanais à tarde, e embora seja um pouco difícil para eu comparecer, faço um esforço. Estou ficando na casa de uma amiga para almoçar e descansar até dar a hora de ir para o encontro, e só isso já vale para desenvolver as habilidades. Tenho que fazer mil coisas que me davam ansiedade só para comparecer aos encontros, e aos poucos essas mesmas coisas vão me deixando menos ansiosa. Além disso, nos encontros somos estimulados a conversar uns com os outros (todo mundo tem dificuldade, então a gente fica mais tranquilo), e a fazer coisas que nos obriguem a sair de nossa zona de conforto. Como por exemplo, em uma semana tivemos que exercitar o elogio: durante a semana, até o encontro seguinte, deveríamos elogiar coisas que observamos nas pessoas (e gostamos) mas que por vergonha, guardamos para nós mesmos. Claro que tem toda uma estratégia envolvida e nossa professora (que também é psicóloga) está acompanhando tudo.


O post ficou beeem grande, não era minha intenção escrever tanto, mas não consegui me controlar. Estava sentindo falta de escrever e de compartilhar alguns pensamentos, e não via a hora de conseguir publicar algo aqui no blog. Não sei quando vou ter tempo de escrever uma nova postagem, já prometi mil vezes ser mais ativa nas redes sociais, principalmente o twitter (que é mais direto), porém nem sempre consigo. De qualquer forma estou em todas elas, e mesmo que não publique nada, continuo ativa. Se eu sumir, vocês já sabem: estou correndo contra o tempo. Não se esqueçam de me desejar sorte no exame de direção haha'

8 comentários:

  1. Gente, tu faz facul também? Eu faço Gestão de TI, cara, psicologia deve ser meio difícil. Melhoras com sua saúde, sei como é difícil organizar o tempo entre tudo, gente...ainda auto-escola? OMG, eu tenho inglês daí já pesa pakas ainda mais que tenho prova agora heuheue ain gente. É complicado...

    Adolescente Nerd // Oficial

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o ano mais corrido da minha vida, menina! Mas venci, graças a Deus!

      Excluir
  2. Oi Marina! Tudo bem?!
    Nossa, que complicado ter que se deslocar para tão longe por causa da faculdade... acho que o pior para mim seria levantar tão cedo.. haha Que bom que está animada com o curso, mesmo tendo toda essa correria gostaria que viesse ao blog falar um pouco mais sobre psicologia, é um assunto que muito me interessa.

    Eu tirei carta de moto apenas, mas pretendo tirar de carro no ano que vem, sem falta. Lembro das minhas primeiras aulas, foi um terror... mas realmente basta praticar que tudo da certo! Boa sorte no exame!!

    Quanto à sua "fobia social", eu também tenho muitos problemas com isso, estava melhorando minha interação com as pessoas, mas esse ano foi um pesadelo completo.. não sei o que aconteceu, mas decai completamente... espero que ano que vem tudo melhore para nós duas!! hahaha

    Aguardo mais postagens!!
    beijos
    http://garotanaalcateia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já escrevi vários posts sobre Psicologia, mas nunca postei. Acredita nisso? Tenho medo de falar alguma besteira hahah'

      Espero que já tenha tirado sua carta de carro!

      Excluir
  3. Oi Marina! Eu admiro muito quem se esforça assim como você para estudar, tinha uns amigos que vinham de cidades vizinhas e passavam horas só para ir e voltar e quase não reclamavam (enquanto eu moro razoavelmente perto da faculdade e reclamava de meia-hora que perdi no engarrafamento no ônibus...). E que bom que você está gostando tanto do curso quanto dos seus colegas, isso às vezes é tão difícil! E vou admitir que odeio dirigir, tirei a carteira aos 19 anos por insistência da minha família, não passei na primeira vez da prova prática, e prefiro mil vezes pegar um ônibus lotado do que pegar num carro... >_<
    E quanto a fobia social, não deixe mesmo de procurar acompanhamento profissional quando puder, depois de muito adiar eu comecei a fazer terapia por conta de uns problemas pessoais e tem me ajudado bastante!
    Quando puder, não deixe de postar! ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que é assim mesmo Carol? Atualmente eu estou morando na cidade onde estudo, e acredite ou não, reclamo muito mais do que antes! Ainda levo um tempo pra chegar na faculdade, mas tenho muito mais horas de sono e reclamo de ter que acordar alguns minutinhos mais cedo. Parece que quanto mais difícil, mais valor você dá.

      Excluir
  4. As pessoas tem certo preconceito natural , colocam rotulos em vc antes mesmo de conhecer a alto o magro demais o gordinho eu sofri bulling no segundo por ser gordinha e hoje mesmo tendo perdido um pouco de peso eu tenho pé atrás com as pessoas , muitas não fazem questão de tentar socializar com vc , na faculdade o convivio não é facíl para mim voltar a estudar depois de 10 anos e no período diurno em uma sala de jovens bem mais novos que eu , mas vendo exemplos como o seu eu fico animada , a vontade estudar é maior que tudo .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amore! rs

      Mais de um ano depois venho aqui responder seu comentário! Me desculpe por isso. É verdade o que você disse, que as pessoas às vezes colocam rótulos e tem preconceito, mas vejo só, não são todas, viu? E também, nem sempre as pessoas colocam esses rótulos de fato. Pense comigo, você não consegue ler os pensamentos das pessoas, então como sabe que elas estão te rotulando? Vivi muito tempo com medo de socializar por achar que seria rejeitada por ser quem eu sou, mas pensava que eram as pessoas que me rejeitavam antes de me conhecer! Às vezes, quando a gente fica mais retraída e queita, as pessoas tem medo de se aproximar, porque sabem que a gente fica desconfortável. Mas não desista de estudar por isso, ok? Pode até ser difícil no início, mas com o tempo fica mais fácil. Espero que já esteja estudando, pra falar a verdade. Desculpa a demora mesmo, viu? Obrigada pelo comentário!

      Excluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/