19/12/2015

A cidade fantasma da blogosfera

Photo by: Ed Gregory

Faz tempo que não escrevo um post como esse. Nos últimos dias, estava me preocupando muito em organizar e melhorar o blog, tornar as coisas mais "sérias", tanto que acabei me esquecendo de uma coisa essencial: blogar. Eu costumava gostar muito disso, era quase uma terapia para mim. 

Como é típico de férias, essa noite joguei meu tempo fora com coisas bobas na internet. Visitei meu antigo (e desativado) blog de tutoriais, e até dei uma atualizada em algumas coisas, estava bagunçado e me deu pena ver ele assim. Meu último post por lá foi em 2013, mas naquela época já não queria mais continuar escrevendo nele. Comecei, por algum motivo, ler comentários antigos e procurar os blogueiros que dividiam espaço comigo naquela época. De todos que olhei, e foram muitos, só um estava ativo. Completava quatro anos hoje, o que foi algo muito legal de se ler.

Olhando os tantos blogs desativados e pessoas sumidas, não consegui deixar de pensar que a blogosfera tem um lado extremamente triste e depressivo, além de um pouco nostálgico. Na verdade, acho toda nostalgia triste. Um lado vazio, uma cidade fantasma. Tive vontade de escrever. Olhar aqueles comentários, lembrar daquelas pessoas, ver o que ouve com elas... Alguns blogs terminavam com um adeus, outros estavam abandonados, sem nenhuma justificativa, nenhum até mais, nenhum sinal de que o blogueiro ia desistir de blogar, como se ele tivesse saído correndo sem ter tempo de fazer mais nada. Me lembrou Chernobil. Alguns não eram possível nem mesmo encontrar o perfil do dono do blog. Li uma despedida triste: "Estou deixando esse blog porque estou em depressão e não tenho mais vontade de fazer nada". O post era de 2014, e não era possível encontrar nenhuma notícia da pessoa que escreveu. Fiquei triste com isso.

Não sei vocês, mas sempre que vejo coisas assim, eu costumo pensar no tempo. E quando eu penso no tempo, eu penso em vida. Não em coisas boas da vida, mas em como as coisas passam e tudo começa a perder o sentido se você olhar por esse ângulo. Isso é meio depressivo e eu tenho certeza que não estaria escrevendo esse texto se fosse de dia, depois do almoço (são quatro da manhã agora), mas eu quero escrever assim mesmo, porque já estava me esquecendo do que é ter um blog. E eu posso ler milhares de dicas de otimização, SEO e o que for, no dia em que deixar de postar o que eu quero por medo do que vai parecer, já não preciso mais de blog. E é por isso que estou escrevendo esse post agora (na verdade não sabia o que ia sair daqui, como sempre), ver aqueles blogs desativados e meu antigo blog me lembrou o motivo de ter começado isso há três anos atrás: não era só ter um espaço na internet, receber tantos cliques e views por dia, eu nem sabia que isso existia. Eu só queria escrever, compartilhar coisas que eu gostava, ter um cantinho que fosse um refúgio para dias difíceis. Ultimamente, aqui é o último lugar que eu venho nos dias difíceis — "dá muito trabalho". Ainda quero que o blog continue sendo um lugar para me livrar das dores de cabeça, e não me arrumair mais algumas. Pode até ser que eu esqueça isso de hoje para amanhã e acabe mudando de ideia, mas no momento, estou usando o blog para isso, para compartilhar pensamentos. E nem doeu.

12 comentários:

  1. Oi, Mari!
    Legal demais você compartilhar as suas impressões sobre isso. Meu blog fará 10 anos em 2016. Quando comecei, as pessoas nem sabiam direito o que era blog. Isso não era popular e as pessoas não perguntavam "mas você ganha dinheiro com o seu blog? Por que você não é rica?", quando falava que escrevo.

    Muita coisa mudou, muita informação (de marketing e tudo isso de SEO) ficou acessível e muita gente se esqueceu da essência. É uma pena. Se por um lado é muito bacana ver todo mundo podendo blogar, por outro, é triste ver a galera fazendo porque quer fama e não escrever de maneira sincera.

    Tenho quase 10 anos nesta estrada. Entendo a sua tristeza por ver algumas (muitas) pessoas desistindo - parte delas, frustrada por não terem atingido a fama. Por outro lado, também ganhei amigos importantes, que conheci no blog. Então, fique firme. Quem tiver que permanecer, permanece - e eu sou prova viva disso!

    Escreva mais posts assim, porque eles são lindos de se ler - e trazem a galera pra real importância e prazer de fazer parte da blogsfera!

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 10 anos?? Nossa que orgulho! Acho que é o blog que está no ar há mais tempo que já encontrei. Parabéns! Acho que você sente mais do que ninguém essa nostalgia e tristeza de ver algumas pessoas desistindo.

      Obrigada pelo comentário, vou continuar escrevendo sim!

      Excluir
  2. Agora imagine só a nostalgia que dá em blogueiros de mais de 10 anos... eu por exemplo comecei a blogar em 2002 ou 2001, já não me lembro mais.
    Escrevi um pouco sobre isso no blog esses dias. Não quero me sentir pressionada a postar, a otimizar pra que meu blog seja melhor encontrado nas buscas. Quero me divertir, desabafar, conhecer gente nova. E eu tava perdendo o foco. Mas agora encontrei :)
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Lívia, 10 anos também! Pensei que nunca ia achar blogs com tanto tempo, mas foi só postar sobre isso que foram 2! hahaha'

      Que bom que encontrou seu foco, eu também sinto que encontrei o meu ;)

      Excluir
  3. oi, Mari!
    nossa, sei exatamente como você se sente. foram tantas as vezes que parei e voltei com blog, que olha... comecei lendo seu post achando que cê ia falar sobre desânimo de blogar (já passei por isso mil vezes e tô passando de novo), mas daí fiquei mega feliz com o desfecho do texto. que bom que você já se deu conta de que o que seu blog não deve deixar jamais de lado é: você. isso é o que mais importa.
    eu acho super legal você se preocupar com coisas como seo e em como melhorar seu blog como um todo pra quem entra aqui e te acompanha. mas isso é só um bônus.
    você tá certíssima: se preocupe em escrever e menos com números, regras, parâmetros. no fim das contas, quando a gente olha pra trás, o que a gente mais se orgulha é daquilo que saiu da nossa alma e não meramente de um cronograma de posts.

    um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vira e mexe dá aquele desânimo, principalmente quando as coisas não estão do jeito que eu quero.

      Eu me preocupo com isso porque sempre quero que o blog seja acessível, fácil para ler, bom para o leitor, etc. Mas às vezes a preocupação é tanta que acabo esquecendo que blogar é algo divertido e prazeroso, um hobby, e que, o que importa no fundo é a pessoa e não toda as regras que ela segue.

      Obrigada pelo comentário <3

      Excluir
  4. Engraçado, passei por isso tem pouco tempo. Achei um blog meu de 2011, tem noção? Hahahaha. E fiquei quase a tarde inteira só lendo os posts e os comentários... Foi tão gostoso! Foi engraçado ver como eu era boba e feliz a 4 anos atrás. A maioria dos posts eram sobre Harry Potter, Mcfly, minha viajem para Disney e como o ensino médio era difícil (estava no primeiro ano). Eu simplesmente ia lá escrever coisas bobas sobre o que eu gostava! Não me preocupava com conteúdo, fotos para complementar o texto e até mesmo se a escrita estava correta. Era simples e muito leve sabe? Era realmente o meu "refúgio". Mas o melhor foi ver os comentários das pessoas, que eram, a maioria, amigos virtuais. Hoje não faço nem ideia se eles estão vivos. Enfim, também gosto de ficar fazendo essas reflexões sobre a vida, acho muito engraçado ver como o mundo dá voltas e as coisas mudam... E é difícil não ficar triste ao notar em como seus caminhos vão mudando =/
    O meu blog atualmente não chega nem perto de ser tão bom como aquele de 2011, não digo só por mim, mas pela blogosfera em geral. As pessoas andam muito egoístas e só pensam em números, números e números. E eu me incluo nesse grupo, não serei hipócrita. E acho que é justamente por isso que quando penso "ah, tenho que fazer um post" eu fico super desanimada e enrolo horas para escrever um texto.
    Triste mesmo é saber que não vai voltar a ser como era a quatro anos atrás :(

    Clareando Ideias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que essa era a ideia de todo blog de 2013 pra trás! Escrever sobre coisas bobas que a gente gostava (ou não, que nem o ensino médio).

      A cada dia que passa fica mais difícil fazer amizade com blogueiros na internet. Não sei você, mas eu sinto às vezes, que eu fui perdendo essa capacidade. Costumava bater altos papos no facebook com algumas pessoas, hoje nem sequer adiciono gente mais.

      Também fico desanimada quando tenho que escrever um post, eu gosto, mas só de pensar nas imagens e tudo, bate aquela preguiça

      Excluir
  5. A blogosfera realmente tem esse lado Chernobil. Eu comecei o blog com 12 anos e abandonei vários blogs no meio do caminho. Nenhum me dediquei come me dedico no Love is Colorful. Infelizmente já tentei procurar meu primeiro blog, era na blogger, mas acho que ele não existe mais ):. Ia ser muito nostálgico achar os posts.

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você não excluiu, provavelmente ainda existe. O blogger não apaga nunca blogs antigos, eles ficam só acumulando poeira e ocupando o endereço hahah'

      Excluir
  6. Geennnteee que post mais interessante! Achei demais sua escrita e seu desabafo, passaram várias coisas na minha cabeça agora e vi que preciso rever meus conceitos! Meu blog tem um tempinho já e acho que vou ler meus primeiros posts para relembrar rsrs



    bjs

    www.tpmbasica.com.br
    youtube.com/tpmbasica

    ResponderExcluir
  7. Sabe o que eu acho o máximo dos blogs?
    Encontrar pessoas que se identificam com seu conteúdo e vê que você não tá asozinho no mundo.
    Foi por isso que eu comecei a bloggar, sentia que era incompreendida, que não tinha ninguém que se identificasse com os meus gostos. Ai descobri os blogs, descobri pessoas com gostos parecidos e resolvi compartilhar.
    Adoro quando escrevo algo e a pessoa deixa um comentário intimista.

    ResponderExcluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/