05/02/2016

[Resenha] Todo dia - David Levithan

Título: Todo dia
Autor: David Levithan
ISBN: 9788501099518
Editora: Galera Record
Páginas: 280
Sinopse: Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.
Sabe quando você vê um livro, e mesmo sem conhecer o autor ou ter lido uma resenha você sabe que vai gostar dele? Então, assim que li a sinopse de Todo Dia soube que ia gostar dele. Não li uma resenha do livro, não fiz uma pesquisa sobre ele, porque quando sei que vou gostar de um livro, não gosto de ler nada sobre ele. Me surpreenda! Eu digo para o livro. E então, menos de uma semana depois de ler a sinopse do livro, a Cida me enviou um e-mail dizendo que ganhei uma promoção no blog dela. O livro? Ele mesmo, Todo Dia. Seria muito estranho dizer que nem me lembrava de ter participado da promoção, e que provavelmente foi porque "participei por participar"? De qualquer forma, fiquei muito feliz por ter ganhado o livro, porque eu sabia que ia gostar dele, e não me enganei. 

Todo Dia é narrado em primeira pessoa por A, uma pessoa que todo dia acorda em um corpo diferente. E todo dia ele segue a rotina da pessoa cujo corpo pegou emprestado por um dia, fazendo o possível para não alterar a vida dela. Tudo era simples, até que A habita o corpo de Justin e conhece sua namorada Rhiannon, e se apaixona por ela. A partir de então todas as prioridades de A mudam, e ele precisa lutar a cada 24 horas para se encontrar com seu amor.

Não vou ficar enrolando na história, Todo dia é incrível. A é um personagem extremamente carismático e tem uma visão tão ampla do mundo que te faz ter vontade de pular de corpos em corpos só para ver o mundo como ele. Ele (ou pode muito bem ser "ela") não sabe porque ou como isso acontece com ele, mas ele convive com isso há dezesseis anos, o que foi suficiente para ele criar regras e entender parte da coisa, como por exemplo, sua regra de não interferir e não se apegar, e que ele de alguma forma só habita corpos de pessoas com a idade dele, na cidade onde ele está. 

A primeira vista parece que o relacionamento dos dois poderia ser fácil, bastava que A viajasse até encontrar Rhiannon, e os dois poderiam ficar juntos — por um dia. Mas as coisas começam a se complicar devido a realidade de certos corpos. E aí é que está o pulo do gato: algumas pessoas não tem carro, outros não podem sair de casa, outros estão longe demais, e por aí vai. E esse é o ponto mais forte do livro, o que torna ele completamente viciante. A cada novo corpo, você quer saber a história por trás dele, como ele é, quem são seus amigos, como ele vai chegar até Rhiannon, e como diz na capa, saber se é garoto ou garota, negro ou branco, rico ou pobre é completamente irrelevante, porque a história por trás deles é mais interessante. E é claro, logo você quer saber quem é o próximo, e então passa para o próximo capítulo só para saber isso. Outro ponto forte do livro é que A habita todo tipo de pessoa. Pessoas como a garota ácida da escola, viciados em drogas, imigrantes, gays, transgêneros, pessoas doentes, nerds, populares, e por aí vai. E você fica querendo saber o que houve com cada pessoa que ele habitou, porque todas elas poderiam ter um livro próprio.

Todo dia é brilhante. O livro me ensinou coisas que eu não teria aprendido em anos de experiência. David Levithan nos leva a uma série de reflexões e de pensamentos arrebatadores, e eu poderia ficar falando disso até doer os dedos, mas tudo que eu peço é que leia o livro, abra sua mente, esqueça todos os rótulos e preconceitos que estamos acostumados a ouvir, e leia, porque esse livro merece ser lido por todo mundo!

Toda pessoa é uma possibilidade. Pág. 266

11 comentários:

  1. Caraca, esse livro deve ser demais. Concordo e admito que atualmente é muito difícil escrever um livro original com um enredo diferente e envolvente porque tudo é tão batido e repetitivo hoje em dia.
    O david Levithan tem se superado. Todos os livros dele, cada um a sua maneira, são fantásticos e tem mensagens super interessantes no final.
    Já marquei o livro no Skoob.
    Beijo,
    paraisodemenina.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beatriz eu gosto muito dele! Gostei da forma como o autor tentou passar mensagens de tolerância e aceitação sem ficar forçado ou óbvio demais que ele estava tentando fazer isso. Eu coloquei o link do skoob no título do livro (ao lado da capa), você viu?

      Excluir
  2. "Sabe quando você vê um livro, e mesmo sem conhecer o autor ou ter lido uma resenha você sabe que vai gostar dele?" sei como é e adoro essa sensação de intimidade com o livro. Depois dessa resenha maravilhosa é claro que eu vou querer ler esse livro ^^

    www.imaginaivy.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê sim Ivy, vale super a pena. E depois me conta o que achou

      Excluir
  3. A capa não em agradou muito, pq sou dessas que olha o livro pela capa, tipo a capa é linda, o livro então é lindo! kkkkkk sei que isso é horrivel e que preciso parar com esse preconceito, mas enfim, sua resenha ficou tão linda que eu fiquei MEGA curiosa com esse livro, é o tipo de livro que preciso ler no momento :3
    Ah, e sobre aquele seu grupo de escritores, pode me adc lá tbm hehe
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é um pouco sem graça mesmo, mas não julgue pela capa Kézia, não vale a pena hahah' Vou te adicionar assim que entrar no face ok? Bjs!

      Excluir
  4. bateu a vontade de ler kkkkkkk vou ter que ajuntar uma graninha pra comprar esse livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre vale a pena quando se trata de livros ;)

      Excluir
  5. Eu costumo dizer que alguns livros piscam pra mim, e foi isso que aconteceu com Todo dia! Eu pedi pela internet o no mesmo dia que chegou eu comecei a me aventurar por essa história. O livro é simplesmente incrível mesmo, me fez pensar em como é a vida pelos olhos de outra pessoa, como seria sentir o mundo, ver as cores, sentir os sabores, na pele de outro alguém. Fiquei sabendo que sairia um segundo livro contado pela visão da Rhiannon, não sei se é verídico, mas queria muito que continuasse. E apesar de não ter gostado taaanto do rumo que a história tomou no finalzinho, nada desvaloriza a beleza da história!
    Adorei a resenha ^-^
    http://www.ruadasbegonias.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais ou menos assim Mari, o livro pisca pra gente, nos escolhe, e não o contrário! Esse livro foi tão assim que ganhei ele em um sorteio, nem precisei comprar!

      Sim, também fiquei sabendo agora. Se chama Outro Dia (ou O outro dia, não tenho certeza) e pelo que ouvi falar tem um final decente dessa vez. Achei o link dele no skoob, ó só:
      Outro Dia - David Levithan

      Excluir
  6. Já tinha ouvido falar desse livro mas não dei muita atenção na época. Agora, após sua resenha, fiquei curiosa. Achei a temática bem diferente do que costumo ler (bem diferente meeeesmo), e por isso também me interessei em ler (um verdadeiro desafio ler o que não estamos acostumados a ler).
    Parabéns pela resenha e obrigada pela dica de leitura. E que bom que valeu a pena ^-^

    Beijinhos

    ResponderExcluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/