22/05/2016

[Sessão Pipoca] Nise: o Coração da Loucura

Nise O Coração da Loucura

Sumi nas duas últimas semanas porque além de provas e trabalhos, tive um Seminário muito bacana na faculdade, sobre A Psicologia frente à pluralidade das violências. E pra servir de abertura do Seminário (e porque a gente tava louco pra assistir), a galera toda de Psicologia mais os professores foram assistir Nise: O Coração da Loucura numa sala de cinema só pra gente. Gostei tanto de filme que já corri pra indicar pra todo mundo <3

O filme conta um pouco da história da Nise da Silveira, que foi uma psiquiatra brasileira que revolucionou a forma de tratamento que a psiquiatria realizava na época. E o filme começa justamente nesse ponto, com Nise (interpretada pela Glória Pires) voltando a trabalhar em um hospital psiquiátrico e se mostrando horrorizada com as formas de tratamento realizadas na época: eletrochoque e lobotomia (sendo esta última feita com um picador de gelo). Como ela se mostrou contrária a esses tratamentos agressivos e se recusou a realizá-los, foi transferida para o setor de Terapia Ocupacional, que era desprezado pelos psiquiatras do hospital. Nesse setor, Nise, através da arte e do amor, começa uma revolução que muda para sempre a psiquiatria.

Nise O Coração da Loucura
Nise com os quadros produzidos por seus clientes
Nise: O Coração da Loucura é muito lindo! O filme nos toca de uma forma inexplicável. Foi maravilhoso ver o quanto os "clientes" (pacientes do hospital) evoluíram depois de receber o tratamento que deveriam receber: o tratamento de um ser humano. Nos faz pensar o quanto a empatia, atenção e respeito podem fazer bem a uma pessoa. Até mesmo os clientes mais "difíceis" tiveram uma grande melhora depois que começou a participar do setor de Terapia Ocupacional. Alguns eram muito distantes, outros agressivos, e com o tempo todos começaram a se encontrar e se expressar através da arte. E isso é lindo de ver!

Nise também nos lembra o quanto é importante a observação e a escuta às pessoas. Às vezes estamos tão acostumados a fazer tudo da mesma forma, e do nosso jeito, que nos esquecemos que o que nós pensamos que é melhor para o outro pode não ser o que é melhor pra ele. E é observando seus clientes e ouvindo o que eles tem a dizer que Nise começa a perceber e elaborar formas de ajudá-los. E é claro, funciona. Até mesmo os enfermeiros se tornam mais comprometidos a medida que o tempo passa. Ver toda essa evolução nos faz acreditar na humanidade mais uma vez ♥.

Apesar de tudo, o filme tem um lado muito triste. Sendo uma história real, ficamos felizes em ver os resultados de todo o trabalho dela, e saber que existiu um dia uma pessoa que conseguiu pensar diferente e mudar a forma como as coisas funcionavam é muito inspirador. Mas ainda assim não podemos nos esquecer que todo o horror e crueldade relatados no filme realmente aconteciam, e talvez ainda aconteçam em alguns lugares, e é dever nosso cuidar e vigiar para que esse tipo de coisa não aconteça mais. É uma pena que histórias tão bonitas só existam porque aconteceram nos piores cenários possíveis. Mas ainda é consolador lembrar que existiu alguém que foi capaz de mudar esse cenário e torná-lo mais humano. A história de Nise é uma pérola da história brasileira, que mesmo bela, só existe porque um dia existiu a sofrimento, e deve ser contado para nos lembrar disso.

3 comentários:

  1. Oi Marina! Também sou estudante de psicologia e não sabia que o filme se tratava disso, mas agora que sei me interessei muito por ele e preciso ver urgentemente! *-* muito bacana mesmo! Adorei a dica, ótima resenha ;*

    Jéssica Patrício - pitadadecinemaeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que você estudava Psicologia também, acho que a gente podia bater um papo sobre isso um dia, o que acha? E sobre o filme, acho que você devia ver sim, ele é muito rico principalmente pra gente que faz parte da área.

      Obrigada pelo comentário, beijos!

      Excluir
  2. Eu fico muito grata pela recomendação do filme.
    Ao ler sua resenha, fiquei imaginando as cenas e a época do horror =(
    Preciso assistir sim, e compartilhar
    Gloria Pires é diva demais <3

    Beijos

    ResponderExcluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/