08/09/2016

[Resenha] Até eu te possuir - Soraya Abuchaim

Até eu te possuir
Autora: Soraya Abuchaim
Editora: Ella
Páginas: 284
Sinopse: Johanna Dorne é uma mulher que perdeu todas as pessoas que amou. As tragédias de sua vida começaram com um acontecimento marcante quando ela tinha 13 anos.
Três décadas depois, ela se transformou em uma mulher solitária, confusa e inclinada à autocomiseração, que não consegue manter contato social com ninguém. Até conhecer Michel Brum, um homem charmoso e misterioso que a resgata de sua vida patética, devolvendo-lhe a felicidade há tanto tempo perdida. Só que Michel acaba mostrando que não é tão perfeito assim, e um segredo mortal jogará Johanna novamente em um abismo.
Já faz um tempo que estou tentando escrever essa resenha, mas só agora, no feriado, é que consegui tempo livre para sentar e escrever. Ganhei o livro Até eu te possuir da Soraya, através de parceria, que eu já considero amizade. Como eu disse no post sobre o lançamento do livro, acompanho a Soraya há anos, e foi uma honra poder ler logo depois do lançamento. Devorei o livro em dois dias e já adianto que valeu muito a pena, fico muito feliz de encontrar livros cada vez melhores no meio nacional.

Até eu te possuir tem como protagonista Johanna Dorne, uma mulher adulta e solitária, que vive isolada em sua casa, assombrada pelos fantasmas do passado. Johanna parece sofrer de uma maldição: desde os 13 anos, perdeu todas as pessoas que amou. Por acreditar nessa maldição, evita contato com outras pessoas, e tem medo de amar novamente e perder mais alguém. Sua vida parada e monótona sofre uma reviravolta quando ela conhece Michel Brum, um homem charmoso que está disposto a tirá-la dessa vida de isolamento...

Até eu te possuir

Até eu te possuir intercala momentos do passado de Johanna com momentos atuais, mostrando de forma bem clara como Johanna era no passado e a forma como está agora. Suas lembranças começam quando ela estava preparando sua festa de 13 anos, e seguem uma linha cronológica até chegar ao momento em que ela decide se tornar quem é, não vivendo mais nenhum evento significativo até o momento atual. A forma como os capítulos mudam do passado ao presente deixa bem evidente o impacto que a história de vida de Johanna tem sobre quem ela é atualmente. Com 12 anos, Johanna era uma menina animada e alegre, mas aos 41, depois de tudo o que passou, ela se tornou solitária e introspectiva. Passa os dias assistindo filmes, lendo livros e bebendo vinho, sua única conhecida é uma mulher que trabalha com ela numa biblioteca, com quem nunca fala, e, por mais que aceite sua situação e goste de viver assim, há momentos em que se sente solitária e gostaria de ter companhia. O que é absolutamente natural, considerando que, assim como nós, a personagem tem seus conflitos, e precisa lidar com eles. 

Talvez por passar anos e anos solitária em sua casa, Johanna passa quase todo o tempo em meio a devaneios. Essa é a coisa mais gostosa da narrativa, temos a impressão de estar lendo os pensamentos da personagem, não como se ela estivesse conversando conosco, mas como se estivéssemos dentro da cabeça dela, observando-a pensar. Enquanto lia, consegui imaginar perfeitamente uma mulher em sua casa, perdida em pensamentos por não ter com quem conversar. Quando era mais nova, Johanna tentou fazer terapia, mas acabou a abandonando, e seu terapeuta tornou-se uma espécie de "espectro" que conversa com ela às vezes. Isso se torna um fato engraçado na vida dela, e eu finalmente consegui entender porque meus professores sempre dizem pra fazer o possível pra finalizar a terapia, mesmo quando o cliente se recusa a voltar uma última vez. A terapia inacabada de Johanna se tornou uma ponta solta, que, junto com tudo o que aconteceu em sua vida, voltava pra lhe importunar. 

Até eu te possuir
Dedicatória linda maravilhosa ♥
A medida que a história se desenrola, Johanna se vê em meio a um conflito: deixar sua vida de solidão para trás e se arriscar a viver um novo amor, ou acreditar que é de fato amaldiçoada e terminar seus dias de forma solitária. Quando os conflitos começam percebemos o quanto Soraya teve êxito ao criar uma personagem humana. Johanna é uma mulher forte, mas não é uma super-heroína, e por isso também falha, erra, e sente medo. O que torna a leitura ainda melhor. Tentei pensar o que eu faria na situação dela e não consegui pensar em alternativas. Quando Johanna finalmente se entrega a nova vida, o medo de voltar ao que era antes a aterroriza, tornando todas as suas ações compreensíveis. Aliás, podemos ver vários casos de Johannas por aí...

Teve alguns pontos que não me agradaram tanto no livro. O primeiro diz respeito ao fato da história toda do livro praticamente ser contada na sinopse. Sim, o livro tem muitos detalhes e pontos importantes que não estão ali, mas o pano de fundo da história já foi entregue ao leitor, deixando de fora apenas o contexto. O elemento surpresa fica para como todos os fatos se encaixam, pois ao ler a sinopse, você já sabe toda a história de Johanna, e também começa a desconfiar de Michel logo que ele aparece. Além disso, a rapidez com que a história se desenrolou foi como um balde de água fria. Talvez eu estivesse ansiosa demais para entender o que estava acontecendo e deixei minhas expectativas muito altas, mas senti que, logo que o mistério foi resolvido, o livro acabou. Sim, queria mais alguns capítulos antes do epílogo, mas como isso não aconteceu, resta imaginar umas cenas a mais. Ainda assim, o livro é ótimo e está aí para provar que tem muito livro bom no meio nacional. Sem dúvidas uma leitura que valeu muito a pena!

Até eu te possuir

Quanto mais uma pessoa sofre, mais os anos correm, mesmo que isso não se reflita na data de nascimento ostentada no documento de registro.

6 comentários:

  1. Essa é uma das resenhas mais bem feitas que eu já vi adorei o livro é bem interessante vou comprar para ler <3


    www.descrevendonuvens.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh quem me dera! Me esforço ao máximo pra transmitir o que pensei durante a leitura, mas ainda tenho que treinar bastante.

      Excluir
  2. Oi, Marina. Tudo bem?
    Confesso que me interessei muito pelo livro. Gosto muito desse estilo de livro que tem um tom mais pessimista. Vou acrescentar a minha litas no Skoob, pois quero muito lê-lo. Pelo que deu para entender, tem alguns aspectos negativos no livro, mas é um ótimo livro. Eu não li ainda e quando ler, com certeza, vou poder falar sobre ele com mais clareza, mas o fato do enredo já adiantar boa parte da história, principalmente, o papel desempenhado por Michel, talvez quebre um pouco a essência do livro. Adorei a resenha e a dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Leandro, livros pessimistas sempre chamam minha atenção hahaha

      Adiantar a história me decepcionou um pouco, porque tirou o elemento surpresa, mas ainda assim o livro vale muito a pena. Se ler, me conte o que achou.

      Excluir
  3. "Olá, tenho interesse". Essa é minha opinião sobre o livro após ler sua resenha haha.
    Eu tenho um certo problema em que quando vejo uma resenha bem positiva sobre o livro tenho curiosidade de ler ele, ainda mais quando é do meio nacional que passei a ter mais interesse recentemente.

    Abraço õ/

    https://livrosamoremais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha eu também sempre fico com vontade! Autores nacionais precisam muito de apoio, não deixe de ler quando tiver oportunidade

      Excluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/