02/03/2017

[Resenha] A vilashi e os dragões - Almakia #1 - Lhaisa Andria

Resenha Almakia #1 - A vilashi e os dragões; Lhaisa Andria
Título: A vilashi e os dragões - Almakia #1
Autora: Lhaisa Andria
Editora: Editora MODO Tradicional - Selo Lumus
Páginas: 364
Sinopse: Em um mundo onde existem pessoas com capacidades extraordinárias, vivendo em uma sociedade abastada e preconceituosa, desde pequena Garo-lin foi uma garota deslocada: uma vilashi frequentando o exclusivo Instituto de Almaki Dul’Maojin.
Mesmo sendo tratada como uma simples e inevitável pedra no caminho dos orgulhosos almakins, engole todo o seu senso de justiça e tem por único objetivo terminar sua educação e voltar à sua vila. Porém, devido a um incidente ela se vê presa pelas circunstâncias, e dali em diante, todo o seu destino está nas mãos dos temidos Dragões de Almakia.


Para entender o universo do livro A vilashi e os dragões, primeiro é preciso explicar todo o contexto da história. O livro se passa dentro do Domínio de Almakia, lugar onde nasceram os primeiros almakins, que são pessoas capazes de manejar um dos Sete Poderes Elementares, sendo eles Pedra (renomeado para Metal), Água, Fogo, Vento, Natureza, Luz e Raio. 

O Domínio de Almakia e as Hierarquias:


O Domínio de Almakia é todo dividido em classes, estando no topo As Grandes Famílias almakins, que mantêm seu almaki puro através do tempo, guardando um Segredo de Família, que é passado de geração em geração para os herdeiros. Esses herdeiros recebem o título de Dragões, que lhes confere poder sobre todos os outros, e também a garantia de que vão governar Almakia no futuro.

Abaixo dos Dragões e das Grandes Famílias estão os almakins, pessoas que possuem a capacidade de manejar Almaki, mas não descendem de nenhuma família Real. Os almakins também são divididos em classes, que lhes confere o direito de mandar ou o dever de obedecer, de acordo com a sua capacidade de manejar. Também existem as pessoas comuns, em geral comerciantes, que não possuem capacidade de manejar almaki, mas que possuem sua importância dentro da sociedade Almaki. E é claro, os vilashis.

Resenha Almakia #1 - A vilashi e os dragões; Lhaisa Andria

Os vilashis:


Os "vilashis", povo descendente de estrangeiros que são chamados assim de forma generalizada e preconceituosa, vivem no Vale Interior, um lugar de clima complicado que torna difícil a existência ali. São o povo mais humilde de Almakia, sobrevivem da agricultura, e são desprezados até mesmo pelos comerciantes e pessoas comuns. É numa dessas vilas que nasce Garo-Lin Colinpis, nossa protagonista, que por acaso teve a sorte de nascer com um poder almaki, e devido a isso é aceita Instituto Dul'Maojin, uma espécie de escola criada para controlar treinar crianças com almaki.

Garo-Lin, a vilashi com almaki de fogo, é completamente desprezada dentro do Instituto e busca apenas passar invisível ali dentro, terminar seus estudos e voltar para sua vila. Sendo uma garota com uma grande capacidade de observação e senso crítico, ela entende que ser aceita no Instituto como uma almakin é apenas uma forma de ser mantida sobre controle, e que não há espaço em Almakia para vilashis como ela. Sua principal preocupação são os Dragões: os cinco herdeiros das Grandes Famílias que não medem esforços em abusar dos seus títulos ali dentro, mandando até mesmo nos mestres e professores. Ela não tem dúvidas que eles poderiam apenas acabar com sua existência ali mesmo, e busca se manter longe da vista deles.

Resenha Almakia #1 - A vilashi e os dragões; Lhaisa Andria
"Se você fosse um dragão, o que colocaria acima de tudo?" (Acho que colocaria o bem estar de todos, sei lá).

Os cinco Dragões:


  • Sumerian Gran'Otto: a única mulher do grupo, descende de uma família de construtores, e possui Almaki de Metal.
  • Nu'liam Gillion: Possui Almaki de Água, e é o único manejador da família Gillion. Também é conhecido por Dragão Real, por ser descendente da família Real de Almakia.
  • Benar Sfairul: é o Dragão de Vento, descende de uma família que vive numa região gelada e um pouco isolada do resto da Sociedade de Almakia.
  • Vinshu Zawhart: é o Dragão de Raio. Sua família é importante na sociedade Almakia por possuírem um segredo que lhes permite manejar Almaki para a cura.
  • Krisson Dul'Maojin: é o Dragão de Fogo e líder do grupo. Sua família é a mais poderosa da Sociedade Almakia, o que reflete em sua personalidade arrogante e sua liberdade de mandar e desmandar aonde bem entender. Obviamente, ninguém ousa questionar suas decisões.

Resenha Almakia #1 - A vilashi e os dragões; Lhaisa Andria


Minhas Impressões:


Eu sei que essa contextualização ficou gigante, mas Almakia é um livro bastante complexo. A minha primeira impressão, antes de começar a leitura, foi de que o livro era uma história sobre dragões. Por mais que eu ame dragões, deixei o livro guardado na minha estante desde 2013 (ganhei ele em um sorteio, e falei sobre ele na época em que ainda fazia caixinha de correio), mas valeu muito a pena ter lido o livro agora. Consegui relacionar muita coisa do livro com coisas que eu aprendi na faculdade, e isso tornou a leitura muito mais rica. Foi muito interessante observar como as pessoas já tinham uma imagem pré-moldada de Garo-Lin, apenas por ela ser uma vilashi, e como esse fato também lhe cortava todas as oportunidades de "subir" na vida, uma vez que nem os professores se davam ao trabalho de falar com ela. A história começa com Garo-Lin há alguns anos dentro do Instituto, e ela não tinha aprendido nada além de se manter longe do caminho dos outros, simplesmente porque, quem se daria ao trabalho de ensinar uma vilashi? O trecho mais marcante para mim é quando ela se vira para o Dragão de Raio, depois dele perguntar porque ela não fora ensinada a controlar seu almaki, e diz:

— Não é óbvio, Dragão de Raio? Eu sou uma vilashi.

Os outros não pareceram entender o que ela estava dizendo, mas o Dragão de Raio era o mais inteligente dos cinco, e entendeu perfeitamente todo o peso que aquela simples palavra carregava. Numa sociedade onde o que tem valor é o almaki, ser descendente de uma família de estrangeiros, com chances mínimas de fazer qualquer coisa além de plantar batatas, não significa ter menos valor, mas não ter valor nenhum. Até mesmo estar na presença de um vilashi era considerado desagradável, que dirá tentar ensinar um. O lugar onde Garo-Lin nasceu praticamente determina quem ela vai ser e a vida que vai levar, e são poucas as pessoas que percebem isso, no livro.

Resenha Almakia #1 - A vilashi e os dragões; Lhaisa Andria


Desnecessário dizer que A vilashi e os dragões foi uma leitura muito prazerosa. Não só por todo o contexto da sociedade de Almakia, mas pela escrita da autora e a construção dos personagens. Lendo minha contextualização, o universo de Almakia parece muito complexo, mas a autora soube ir soltando os detalhes aos poucos, de forma que você compreenda o contexto sem ter vontade de largar o livro e sair correndo. A história é narrada de forma leve, e na primeira vez que peguei pra ler, fiquei tão envolvida que queria virar a noite lendo. Esse é o tipo de livro que você faz uma pausa, mas seus pensamentos voltam para a história o tempo todo. Na faculdade você está pensando no livro, na rua você está pensando no livro, tomando café você está pensando no livro, tomando banho você está pensando no livro... cheguei a sonhar com Almakia e a sensação foi muito boa. Também perdi horas de sono para ler alguns capítulos e não me arrependo. Quase matei aula para finalizar a leitura, mas a responsabilidade falou mais alto.

Resenha Almakia #1 - A vilashi e os dragões; Lhaisa Andria

Sobre os personagens, todos eles tem uma personalidade bem construída e complexa. Todos fogem do clichê, até mesmo o Dragão de Fogo, que eu esperava que fosse fazer o tipo mimado e arrogante que se apaixona pela protagonista, e deixa de ser assim com ela. Mas o Dragão não era bem o que eu esperava, e o que mais me fez gostar dele foi o fato dele trocar algumas palavras. Não sei o que passou pela cabeça da autora, mas o absoluto Dragão de Fogo trocar as palavras foi genial. Errar as palavras e deixar todos sem entender o que ele quis dizer tira o peso da personalidade dele, o Dragão deixa de ser apenas um cara arrogante, e passa a ser o Dragão que tem dificuldade de se expressar. A leitura fica mais bem humorada, também.

Outros personagens que eu queria para mim foram a Kidari, amiga de Garo-Lin que veio de fora dos Domínios de Almakia (e que também é excluída por isso), o Dragão de Raio, simplesmente porque sim; e o maravilhoso Nu'liam Gillion, o Dragão Real/Da Água. Nu'liam tem uma personalidade suave feito o elemento que ele maneja, parece estar sempre alheio ao que acontece a sua volta e é o primeiro a se dirigir a Garo-Lin como uma pessoa, e não uma vilashi. Ele puxa um pouco pro arquétipo do sábio, e o fato dele falar somente quando realmente necessário me fez gostar ainda mais dele. Amo/Sou pessoas assim <3<3

Resenha Almakia #1 - A vilashi e os dragões; Lhaisa Andria
Minha relíquia de Almakia, sim, porque eu tenho uma
Depois dessa resenha gigantesca, que eu tive até que dividir em subtítulos (primeira que eu faço isso), tenho uma excelente notícia: Almakia tem continuações! Duas já publicadas, para ser mais exata, e eu estou muito curiosa para saber os desdobramentos da história. Fiquei feliz demais por ter ganhado o livro (só reforça minha crença de que nada acontece por acaso) e eu quero muito (preciso!) ler as continuações. Entrou pra lista de favoritos, e não é por acaso <3

"Nunca havia pensado daquela maneira. Podia descender de um povo de fora de Almakia, mas seus pais, seus irmãos e ela nasceram dentro do Domínio e sua família vivia daquelas terras. As diferenças, quem as criavam e as mantinham, eram eles mesmos."

6 comentários:

  1. Eu não conhecia a história..
    Lendo de imediato pensei que fosse sobre dragões tbm (e até me animei porque amo hauihaiuhauha). Mas senti curiosidade de ler mesmo assim *_*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amo! suhaushau' Mas a ideia de serem títulos também ficou bem bacana :D

      Excluir
  2. MARINA NÃO TA DANDO CERTO, assim n da de vdd, eu marco o nome do livro da ultima resenha, junto o dinheiro e quando eu to quase chegando na metade você me aparece com uma resenha de um livro melhor ainda, e eu fico como? fico perdida do qual comprar ja tem uns 3 livros só indicado por você, e eu não sei como viver desse jeito, senta aqui vamos conversa mocinha!!!
    SÓ VIM DIZER meu ANIVERSARIO TA CHEGANDO e por conhecidência é o nome do seu blog <3 me abraça vai (rlx minha mae tbm acha eu estranha, mas ela tem que me amar até os 18) sim faço aniversario com o nome do seu blog
    ps.: quando vc ler esse comentario vai me achar louca, mas eu to muitooo feliz só por estar aqui <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samanta menina, quando o livro é bom a gente tem que indicar! suahsuahu'

      Excluir
  3. MEU ANIVERSARIO É 31 DE MARÇ0
    http://dosedestrelas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, somos irmãs de aniversário!! Não tem nem como esquecer seu aniversário agora ahhahaah

      Excluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/