13/02/2017

[Resenha] Escarlate - J. Jamesson

Título: Escarlate
Autor: J. Jamesson
Editora: Publicação Independente
Páginas: 119
Sinopse: Diferente dos Vampiros e das bruxas, protagonistas de Diversas Histórias, sedutoras criaturas conhecidas como súcubos são pouco exploradas na literatura moderna. Usando de uma boa pitada de criatividade, J. Jamesson deu fôlego novo à antiga lenda com Escarlate, uma envolvente fantasia sombria repleta de sangue e sexo, que conta a história de um rapaz que tem sua vida virada de cabeça para baixo quando uma curiosidade o leva para o melancólico submundo que as súcubas habitam. Lá, em meio a cenários sombrios e criaturas de gelar a alma, ele é visto em uma aventura que nunca planeja: é levado a percorrer um caminho de mais horripilantes até a cruel Rainha das Súcubas, a soberana a qual muitas se negam a se curvar. Afundado num eterno déjà-vu de contornos macabros, ele de repente se percebe entre Lukriya, a súcuba que o deixa louco, e Silfídi, considerado por muitas reencarnação de uma das súcubas originais - disputa capaz de levar a um arriscado desentendimento entre as duas Maiores famílias de súcuba da atualidade


*ebook cedido em parceiro com autor

Recebi a proposta de ler e resenhar Escarlate, e — apesar de contrariar minha ideia de ler mais mulheres — resolvi aceitar, por se tratar de uma publicação independente, e de ser uma história sobre súcubas. Súcubas são muito pouco exploradas na literatura, a meu ver, e encontrar um livro sobre elas me deixou curiosa. Amo lendas e criaturas mitológicas, mas só vejo súcubas em jogos de RPG, sendo raramente mencionadas em outras mídias, logo, quando li a sinopse, fiquei muito curiosa pra ler.

Escarlate é narrado por um rapaz que, depois de ter sonhos estranhos com uma jovem bonita, acorda e vê um portal aberto em seu quarto. Ele entra e, do outro lado, encontra um mundo sombrio, habitado por súcubas, que são criaturas que visitam homens em sonhos para roubar sua energia, através do ato sexual. A súcuba responsável por deixar o portal aberto é Lukriya, e, já tendo desenvolvido um estranho fascínio por ela, o rapaz tenta protegê-la, não dizendo nada sobre quem ele via nos sonhos, antes de ir parar naquele mundo sombrio. Sem saber de quem ele era vítima, as súcubas decidem levá-lo como presente a Rainha das Súcubas, criatura que parece ser tão odiada quanto temida. A partir daí, bom, a partir daí você precisa ler para saber.

Escarlate é uma leitura bem rápida, possui poucas páginas e pode ser lido de uma vez, sem delongas. A narrativa é conduzida pelo próprio rapaz, (o do portal), e parece uma conversa entre você e um velho amigo. Ele faz questão de deixar claro que não é escritor, mas apenas quer contar uma história, e você se sente mesmo como se estivesse sentada num bar ou algo assim ouvindo a história de alguém. Por ser uma narrativa rápida, alguns detalhes são deixados de lado, ele não se aprofunda na lenda das súcubas, não diz nem seu próprio nome, e não faz questão de economizar nas gírias. A impressão é que você está mesmo conversando com um amigo, o que acaba sendo tanto bom quanto ruim. Bom por tornar a leitura fácil e rápida, ruim porque você termina a leitura com um monte de perguntas, mas não pode fazê-las porque seu amigo foi embora.

Vale ressaltar que Escarlate é um livro erótico, mas esse não é o principal foco do livro. O livro também não é um romance, e como o próprio narrador deixa claro, é uma história de como ele conheceu Lukriya, e apenas isso. O universo das súcubas foi pouco explorado, e uma continuação contando a história das famílias, o universo das súcubas e a relação com os vampiros (que são apenas mencionados) seria muito bem vinda. Fiquei curiosa para saber se uma súcuba poderia roubar a energia de uma mulher, e porque Lukriya diz, no livro, que íncubos são frutos da imaginação humana. Resta esperar que o autor faça uma continuação explicando os detalhes.

Em suma, Escarlate é um bom livro, a história é interessante e te entretém por algumas horas. Porém, é muito curto, o que acaba tornando a história um pouco corrida. Ficaram várias pontas soltas, e no final temos aquela sensação de faltar algumas páginas. A trama principal não me convenceu, embora tenha gostado dos personagens e do universo das súcubas. De qualquer forma, fiquei feliz pela oportunidade de conhecer uma história diferente, sobre criaturas que raramente aparecem em histórias fantásticas, e pelas horas de distração que o livro me proporcionou. Para quem procura uma leitura curtinha, sem criar grandes expectativas, Escarlate é uma boa pedida.

"— Eu entendo da morte. Já testemunhei as mais variadas criaturas definharem, deixarem de ser. Eu lhe garanto: você não é diferente de nenhuma delas." pág. 108

Para conhecer mais sobre Escarlate:



Sobre o autor:


Escritor jovem, J. Jamesson nasceu em 1991 na cidade de Avaré. Descobriu o amor pela ficção ainda na infância, quando esboçava os primeiros parágrafos das aventuras fantásticas de seu cachorro de estimação em “Lou Slites e os Medalhões Espirituais”   (não publicado).

Autodidata apaixonado por música, carrega influências tanto de grandes nomes da literatura quanto das mais modernas formas em que a arte se apresenta, tais como videogames e animação. Valoriza a criatividade acima de tudo, e crê que é só com ela que se pode oferecer ao leitor uma experiência única capaz de marcá-lo para sempre.

As ideias que deram origem a Escarlate surgiram quando o fascínio do autor por fantasia sombria e cenários góticos se uniu ao desejo de criar algo inovador em torno de um mito um tanto relegado à sombra de lendas com representações mais populares.

2 comentários:

  1. Oi, Marina. Tudo bem?
    Ainda não li nenhum livro sobre a temática. Afinal, nunca tinha ouvido falar de súcubas, isso me chamou muito a atenção, para conhecer um pouco mais. Acho que no fim sentirei falta de algumas coisas por ser um livro realmente bem curto, mas vou dar uma chance à leitura. Gostei bastante da sua resenha. Sempre quando tiver a oportunidade, poste mais resenhas aqui, gostei bastante. Obrigado pela dica.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leandro!

      Dá uma chance sim, ele é curto, mas é bom também. A lenda das súcubas é bem interessante, puxa um pouco pro terror, acho que você vai gostar.

      Eu ando um pouco insegura com minhas resenhas, mas vou tentar postar mais.

      Obrigada pelo comentário! <3

      Excluir

Vai comentar? Lembre-se de seguir algumas regrinhas: nada de arrumar brigas com outras pessoas, e não use palavras de baixo calão! Não diga nada que você não diria para sua avó.

Obrigada pelo comentário, vou retribuí-lo assim que puder. Volte sempre (/◕▽◕。)/